RHF Talentos

Feedback construtivo: como promover o crescimento individual e organizacional

O feedback construtivo emerge como uma peça-chave no quebra-cabeça da melhoria contínua, desempenhando um papel vital tanto no desenvolvimento individual quanto no aprimoramento organizacional. 

Sua importância estende-se à promoção de habilidades, à criação de ambientes de trabalho saudáveis e à otimização de processos internos. 

Mas, se ainda não está convencido de que é preciso adotar essa prática, confira o artigo a seguir, onde exploraremos a natureza do feedback construtivo, os seus benefícios e ofereceremos dicas para a sua implementação eficaz.

O que é o feedback e qual é a diferença do tradicional?

A palavra feedback vem do inglês e significa “alimentação de retorno” ou “retroalimentação”. No meio corporativo, o conceito refere-se a avaliação de ações positivas e/ou negativas por parte de um gestor em relação a um colaborador, por exemplo, sempre de forma construtiva.

O feedback construtivo difere do tradicional ao se concentrar no desenvolvimento, fornecendo insights específicos e orientação para aprimoramento e identificando áreas de melhoria. Enquanto o convencional muitas vezes se limita a avaliações superficiais.

Conheça os benefícios do feedback construtivo

Entre os principais, destacam-se:

  • Fortalecimento do desempenho individual e coletivo, estimulando melhorias constantes;
  • Promoção da comunicação aberta, fomentando um ambiente transparente e colaborativo;
  • Criação de uma cultura de aprendizado contínuo, favorecendo a busca por conhecimento e evolução;
  • Fortalecimento das relações interpessoais, garantindo um ambiente de confiança e cooperação;
  • Reforça a atenção aos pontos de melhoria, direcionando esforços para o aprimoramento efetivo;
  • Diminui ruídos de comunicação, assegurando uma troca de informações mais clara e eficaz;
  • Ajuda no autoconhecimento do colaborador, contribuindo com a reflexão e o entendimento próprio.

Dicas para colocar em prática o feedback construtivo

Siga essas orientações e obtenha bons resultados à empresa e aos colaboradores:

  • Priorize a clareza, a objetividade e a empatia

Comunique-se de maneira direta e sensível, dessa forma será mais assertivo e evitará que a pessoa interprete as suas palavras de maneira incorreta.

  • Crie um ambiente acolhedor

Os trabalhadores que vão receber os feedbacks devem se sentir confortáveis para ouvir e compartilhar os seus pontos de vista. Por isso, é indispensável estabelecer um clima de confiança e aceitação. 

  • Promova treinamentos e workshops aos líderes

Desenvolva habilidades necessárias para oferecer feedback construtivo, como comunicação, liderança, entre outros. Assim, os gestores estarão aptos a dar o feedback de maneira assertiva, bem como receber os comentários e os pontos levantados pelos funcionários.

  • Estabeleça diretrizes e políticas claras

Proporcione um quadro estruturado para a implementação eficaz, além disso, é preciso determinar e seguir uma periodicidade dessas ações.

  • Utilize ferramentas tecnológicas

Há diversos aplicativos e softwares disponíveis que facilitam a coleta e a análise de feedback, agilizando e garantindo o sucesso do processo.

  • Utilize as palavras certas

Escolha uma linguagem que inspire melhoria e não crítica. Comunique-se de maneira aberta, convidativa e sempre ouça o que a pessoa tem a dizer. Lembre-se: não é sobre o que você diz, é como você diz.

  • Anote e planeje com antecedência

Faça um roteiro se for preciso, para lembrar dos aspectos que devem ser mencionados e para não mostrar despreparo neste momento. Demonstre seriedade na abordagem.

  • Escolha o melhor momento

Destine um período em que você e a pessoa possam dar atenção apenas ao feedback. Ou seja, esse momento não deve ser diante de outras pessoas e ali mesmo, na mesa de trabalho, pois há chances de trazer constrangimento ao colaborador, assim como ele pode perder a atenção ao que você está falando. 

  • Exponha os motivos para aquele feedback

Sempre contextualizar o motivo da conversa, isso ajudará a encontrar a melhor maneira de falar sobre os assuntos. Fundamente as suas observações com exemplos concretos, como: “esse feedback será realizado mensalmente, a fim de encontrarmos, juntos, pontos de melhorias para o setor”.

  • Aponte as qualidades e resultados positivos do colaborador

Reconhecer as conquistas e os esforços faz parte do feedback construtivo, ou seja, com isso, se sentirá cada vez mais motivado e valorizado.

  • Traga soluções ou pontos de melhoria a serem trabalhados

A cada aspecto que você mencionar, ofereça uma orientação para a resolução e o crescimento da pessoa. Isso porque é o papel do líder indicar o caminho para que o colaborador atinja os devidos objetivos.

Inclua o feedback construtivo em seu ambiente de trabalho

Afinal, é uma ferramenta poderosa para catalisar o crescimento tanto do colaborador quanto da empresa. 

Ao adotar o feedback construtivo como uma prática fundamental, as organizações não apenas cultivam ambientes de trabalho mais saudáveis, mas também desencadeiam um ciclo virtuoso de aprendizado e evolução constante.